Red Feet é campeão do primeiro Pinhão Bowl

Jogo nervoso, parelho e hist√≥rico. Assim foi a primeira edi√ß√£o do Pinh√£o Bowl, que terminou com a vit√≥ria de 09 a 00 para o time do Francisco Beltr√£o Red Feet sobre o Curitiba Guardian Saints e o t√≠tulo para a equipe do interior. O jogo, disputado neste domingo (18), em Francisco Beltr√£o, regi√£o noroeste do […]

Jogo nervoso, parelho e hist√≥rico. Assim foi a primeira edi√ß√£o do Pinh√£o Bowl, que terminou com a vit√≥ria de 09 a 00 para o time do Francisco Beltr√£o Red Feet sobre o Curitiba Guardian Saints e o t√≠tulo para a equipe do interior. O jogo, disputado neste domingo (18), em Francisco Beltr√£o, regi√£o noroeste do Paran√°, reunia os campe√Ķes das divis√Ķes Leste e Oeste do Paranaense de Futebol Americano, e foi nervoso desde o come√ßo, as defesas dominaram os ataques e o placar baixo manteve a ansiedade das duas sidelines em alta durante os 48 minutos.

E tratava-se de um confronto √≠ntimo em muitas situa√ß√Ķes, principalmente no comando das equipes. Os treinadores, Felipe Romanel dos Saints, e Carlos Alves, do Red Feet, tem hist√≥ria juntos, nos prim√≥rdios da disputa da bola oval no estado, quando chegaram a atuar juntos pelo Curitiba Hurricanes. Romanel revelou o papo entre os dois antes da disputa come√ßar. ‚ÄúFalei para ele [Alves] que quem errasse menos sairia com a vit√≥ria‚ÄĚ, resumiu o t√©cnico dos santos guardi√Ķes, como se fizesse uma premoni√ß√£o.

E o jogo foi marcado pelos erros. Faltas, turnovers e chutes desperdi√ßados deram o tom do jogo. Quando limitou os equ√≠vocos, os donos da casa finalmente conseguiram pontuar. Em um drive que come√ßou perto do meio de campo, gra√ßas √† uma intercepta√ß√£o, o running back Munir conseguiu encontrar espa√ßos pelo meio da linha defensiva dos Saints levando a equipe √† beira da endzone. O QB Maozinha encontrou seu recebedor, Rackson, livre nas √ļltimas 10 jardas do campo para abrir o placar no come√ßo do segundo per√≠odo. O kicker Igor Fieira teve sua tentativa de extra point bloqueada, 06 a 00 para o Red Feet.

Em sua √ļnica campanha produtiva na primeira etapa, os Saints sa√≠ram da beira de sua endzone, aproveitaram uma falta pessoal marcada a seu favor e avan√ßaram at√© a linha de 30 do campo de ataque j√° dentro do two minute warning. Por√©m, a tentativa de field goal dos visitantes passou √† direita do gol, e o time da capital seguiu zerado no jogo.

Na segunda etapa, os dois times tiveram ajustes. Sem conseguir mover a bola como nas partidas anteriores, Xavier deu lugar a Henrique no comando do ataque dos Saints, e o recebedor, que atua também como lançador, passou a empregar um estilo de jogo diferente. As jogadas começaram a variar em maior quantidade e o time da capital passou a mover a bola com maior consistência, graças também ao segundo tempo mais produtivo do corredor Manchete.

J√° os p√©s vermelhos come√ßaram confiar ainda mais em seu jogo corrido. Na frente no placar, o time do sudoeste ‚Äėgastava‚Äô o rel√≥gio correndo com a bola e avan√ßava sistematicamente em campo. Por√©m, as faltas limitaram o sucesso dos dois times. False starts, holdings, faltas pessoais, foram in√ļmeras penalidades na partida, o que tamb√©m ajudou as defesas a manter o placar baixo at√© o final.

J√° perto do two minute warning do 2¬ļ tempo, os p√©s vermelhos encaixaram outro drive de sucesso e levaram a bola at√© as 20 jardas finais do campo. Sem conseguir entrar na end zone, o time da casa chutou um field goal, convertido por Fieira, que deixou a diferen√ßa de pontua√ß√£o em duas posses de bola. Desesperados atr√°s do placar, os Santos Guardi√Ķes passaram a for√ßar bolas em profundidade. Por√©m, mais uma intercepta√ß√£o, a segunda do safety Donaris, deixou o jogo, que j√° era complicado, praticamente fora de alcance para os visitantes.

O time da capital at√© for√ßou um three and out (quando o ataque advers√°rio faz tr√™s tentativas e n√£o consegue o first down), e conseguiu encaixar dois passes longos que deixou os Guardi√Ķes no meio de campo, mas um erro do ataque na entrega da bola (Xavier n√£o conseguiu coloca-la nas m√£os de Manchete) e a recupera√ß√£o do fumble pelo Red Feet selou a vit√≥ria e a conquista dos p√©s vermelhos, primeiro time campe√£o na hist√≥ria do Pinh√£o Bowl.

O RB Munir (à esquerda) foi o principal nome da equipe do sudoeste e levou o troféu de melhor jogador da partida. (Foto: Reprodução-Rodrigo Dornelles)

Destaque da partida e eleito o MVP do Pinh√£o Bowl, mesmo sem ter pontuado, o corredor Munir se disse incapaz de definir a import√Ęncia da conquista do Red Feet, mas valorizou a dedica√ß√£o e a evolu√ß√£o dos P√©s Vermelhos. ¬†‚ÄúMe dediquei muito, me preparei ao m√°ximo para ajudar, e a equipe teve uma evolu√ß√£o muito grande em um per√≠odo curto de tempo. Sempre foi dif√≠cil, sempre com emo√ß√£o, mas n√£o tenho palavras para descrever a vit√≥ria‚ÄĚ, sentenciou, citando os outros jogos do time, em que venceram tamb√©m com placares apertados.

Deixe um Comentário

Name *
Email *
Website
Comentarios *

Related Post

Sobre

O melhor conte√ļdo de futebol americano para amantes do esporte como n√≥s ;)
Fique por dentro do que rola no FA no Brasil e no mundo com o Portal do FA.

Contato

Rua Monsenhor Ivo Zanlorenzi, 3847, Mossungue
Curitiba ‚Äď Paran√° - Brasil
UP