Pass protection, uma guerra coreografada

Em qualquer playbook, antes de começar a discutir qual conceito de rotas e quais características de ataque serão utilizadas, as trincheira30s têm que estar funcionando de modo a garantir que a bola chegue na mão dos WRs, senão todo o plano da jogada vai por água abaixo. Hoje vamos abordar dois schemes de passe comuns […]

Em qualquer playbook, antes de começar a discutir qual conceito de rotas e quais características de ataque serão utilizadas, as trincheira30s têm que estar funcionando de modo a garantir que a bola chegue na mão dos WRs, senão todo o plano da jogada vai por água abaixo.

Hoje vamos abordar dois schemes de passe comuns que de ver por aí: o man-to-man e o zone.

Mas antes de começar a falar sobre tática, vou dirigir a palavra para pessoal da trincheira: independentemente do scheme em questão, a chave para uma boa proteção de passe é um bom stance, agressividade e acima de tudo, PACIÊNCIA.

 

“Mas Coach, se um OL tem que ser agressivo, por quê eu devo ser paciente?”

Muitos atletas confundem paciência com passividade. Paciência significa você atacar o defensor no momento certo, e é claro com agressividade necessária para dominá-lo.

Se você parar para pensar um minuto, o OL está de costas para a bola, se deslocando para trás numa posição “desconfortável”, tendo que segurar defensores pesados que estão se deslocando para frente.

É um movimento contra o natural do ser humano, concordam? Então já que estamos numa desvantagem, temos que nos munir de armas para combater isso. Se você atacar o seu defensor muito cedo, ele te passa. Se atacar um segundo mais tarde, ele te arrasta e/ou derruba. Há um momento certo de fazer o strike no defensor para garantir a integridade do pocket e um bloqueio eficiente.

 

Man to Man

Como próprio nome já diz, os OLs estão no 1×1 contra os defensores.

Todos os que estão na linha de scrimmage deverão ser bloqueados. Como a linha ofensiva só pode bloquear 5 pessoas, o OL que não estiver em big-on-big (OL vs. DL) deverá bloquear um defensor do 2º nível previamente definido.

Esse scheme facilita leitura pré-snap, fazendo com que o OL não tenha dúvida em quem bloquear, mas deve-se tomar o devido cuidado para não cair em stunts e blitzes.

Nesses casos, a comunicação e a troca de responsabilidade entre os jogadores da OL deve estar em sintonia.

 

Zone

Novamente, como o próprio nome já diz, o OL está bloqueando uma área, qualquer defensor que invadir essa área deve ser bloqueado, lembrando sempre de “garantir primeiro o lado de dentro”.

Esse tipo de scheme é flexível, fazendo com que o OL possa ajudar o bloqueio de outro sem comprometer o pocket, mas depende muito da capacidade de leitura pós snap para identificar quem é o jogador que deve ser bloqueado.

 

Esses schemes se aplicam contra todos os front seven que existem por aí. O melhor scheme a ser utilizado pelo seu time vai depender da execução e leitura pré e pós snap da OL.

O tipo de material humano que você tem para trabalhar, vai definir seu scheme. Uns trabalham melhor na leitura, outros no 1×1…mas nada disso servirá se o OL não tiver um bom stance, agressividade e acima de tudo, PACIÊNCIA.

Deixe um Comentário

Name *
Email *
Website
Comentarios *

Related Post

Sobre

O melhor conteúdo de futebol americano para amantes do esporte como nós ;)
Fique por dentro do que rola no FA no Brasil e no mundo com o Portal do FA.

Contato

Rua Monsenhor Ivo Zanlorenzi, 3847, Mossungue
Curitiba – Paraná - Brasil
UP