Conceitos de Passe (Parte 2): Ganhe mais jardas passando a bola

Na¬†primeira parte deste artigo pudemos conhecer um pouco mais sobre a estrutura dos Conceitos de Passe e duas das principais caracter√≠sticas de sua implementa√ß√£o nas jogadas de passe: o Ritmo na Progress√£o de Leitura e a Rota ou Combina√ß√£o de Vantagem. Nessa semana vamos conhecer outros dois aspectos importantes dos conceitos de passe: um possibilita […]

Na primeira parte deste artigo pudemos conhecer um pouco mais sobre a estrutura dos Conceitos de Passe e duas das principais características de sua implementação nas jogadas de passe: o Ritmo na Progressão de Leitura e a Rota ou Combinação de Vantagem.

Nessa semana vamos conhecer outros dois aspectos importantes dos conceitos de passe: um possibilita uma v√°lvula de escape √† press√£o no Quarterback atrav√©s de passes r√°pidos existentes em cada conceito e o outro est√° relacionado √† capacidade de alterar v√°rias forma√ß√Ķes para dificultar o trabalho da defesa em identificar tend√™ncias ofensivas, possibilitando ao ataque encaixar diversas forma√ß√Ķes que explorem as fraquezas da defesa advers√°ria.

 

Passe r√°pido para evitar a press√£o no quarterback

√Č extremamente importante para a sa√ļde do jogo a√©reo ter um esquema de prote√ß√£o consistente para o Quarterback. Acontece que em algumas situa√ß√Ķes, designar 6 ou 7 jogadores na prote√ß√£o pode causar problemas ao limitar demais as op√ß√Ķes de passe. Os conceitos de passe t√™m como inten√ß√£o utilizar os 5 recebedores em rotas pelo campo, fazendo com que a defesa tenha sempre que se preocupar em defender cada um deles, limitando um pouco as op√ß√Ķes de blitz e punindo √°reas livres deixadas no campo devido ao Pass Rush de determinados jogadores como Linebackers e Safeties.

Ao utilizar a Linha ofensiva para proteger melhor o lado cego do Quarterback (backside da jogada), os Conceitos de Passe oferecem pelo menos uma op√ß√£o de passe r√°pido no lado principal da jogada, facilitando a leitura de apenas uma parte da defesa logo ap√≥s o snap. Essa caracter√≠stica √© importante pois hoje em dia cada vez mais defesas simulam uma blitz ou outro tipo de cobertura antes do snap, retornando seus jogadores √† chamada original ap√≥s o snap e uma prote√ß√£o em excesso poderia resultar em menos op√ß√Ķes de passe.
Ao manter sua preocupação voltada ao lado principal do campo, podemos observar que caso não exista a blitz, a progressão principal se desenvolve normalmente (Figura 1).

 

Figura 1

Figura 1 ‚Äď Atacando a cobertura em zona. Fonte: GONZALEZ, 2009

Caso haja uma blitz que busque sobrecarregar um lado da Linha Ofensiva atrav√©s do lado principal da jogada (Figura 2), a rota curta pode encontrar um espa√ßo no campo para ganhar jardas ap√≥s a recep√ß√£o. Um sistema que visa a prote√ß√£o em excesso pode at√© garantir maiores jardas no passe, mas passes curtos na m√£o de bons jogadores podem resultar em grandes avan√ßos em jogadas mais seguras. Dessa forma o ataque acaba por ditar o ritmo do jogo ao frustrar as a√ß√Ķes da defesa.

Figura 2

Figura 2 ‚Äď Atacando uma blitz que visa sobrecarregar um lado da Linha Ofensiva. Fonte: GONZALEZ, 2009

 

Possibilidade de ajuste a v√°rias forma√ß√Ķes

Um conceito de passe n√£o √© uma jogada isolada. Os princ√≠pios de cada conceito n√£o mudar√£o, independente do personnel (quantidade de Tight Ends, Wide Receivers e Running Backs em campo) e da forma√ß√£o utilizada. Dessa forma, fica muito mais f√°cil para os jogadores do ataque decorarem o playbook, pois o n√ļmero de conceitos adapt√°veis √© menor que jogadas espec√≠ficas para cada forma√ß√£o.

Uma das principais vantagens de utilizar diferentes forma√ß√Ķes √© dificultar o trabalho da defesa ao tentar identificar as chamadas e tend√™ncias ofensivas. Dessa forma, variando as forma√ß√Ķes com velocidade entre um snap e outro, o ataque consegue ditar o ritmo do jogo e ainda por cima colocar seus melhores jogadores em vantagem contra uma defesa despreparada.
Poderemos ver abaixo nas Figuras 3, 4 e 5 tr√™s exemplos de forma√ß√Ķes que empregam o mesmo conceito, que visa atacar o campo em tr√™s n√≠veis:

Figura 3

Figura 3 ‚Äď Ajuste de Forma√ß√£o com dois Tight Ends, dois Wide Receivers e um Running Back. Fonte: GONZALEZ, 2009

 

Figura 4

Figura 4 ‚Äď Ajuste de Forma√ß√£o com quatro Wide Receivers e um Tigh End. Fonte: GONZALEZ, 2009

Figura 5

Figura 5 ‚Äď Ajuste de Forma√ß√£o com um Tight Ends, tr√™s Wide Receivers e um Running Back. Fonte: GONZALEZ, 2009

 

Dessa forma, ao variar as forma√ß√Ķes, a defesa n√£o consegue antecipar as jogadas, o que poderia causar perdas de jardas, sacks e turnovers.

J√° para o ataque, a inten√ß√£o √© criar v√°rias situa√ß√Ķes parecidas, mesmo com a mudan√ßa de posi√ß√£o dos jogadores devido √†s forma√ß√Ķes diferentes, facilitando a execu√ß√£o da t√©cnica, que se mant√©m constante em cada conceito utilizado.

 

Referência

Gonzalez, Dan. Concept Passing: Teaching the Modern Passing Game. Coaches Choice.

Deixe um Comentário

Name *
Email *
Website
Comentarios *

Related Post

Sobre

O melhor conte√ļdo de futebol americano para amantes do esporte como n√≥s ;)
Fique por dentro do que rola no FA no Brasil e no mundo com o Portal do FA.

Contato

Rua Monsenhor Ivo Zanlorenzi, 3847, Mossungue
Curitiba ‚Äď Paran√° - Brasil
UP