Croco vs HP: quem é o favorito?

Neste domingo (09), o clássico entre Coritiba Crocodiles e Paraná HP, no Complexo Esportivo Brown Spiders, às 14 horas, em Curitiba, abre a segunda rodada da Divisão Norte do Campeonato Paranaense de Futebol Americano. O clássico repete a última edição do Paraná Bowl, com vitória por 14 a 0 do HP, mas o resultado pode […]

Neste domingo (09), o clássico entre Coritiba Crocodiles e Paraná HP, no Complexo Esportivo Brown Spiders, às 14 horas, em Curitiba, abre a segunda rodada da Divisão Norte do Campeonato Paranaense de Futebol Americano. O clássico repete a última edição do Paraná Bowl, com vitória por 14 a 0 do HP, mas o resultado pode ter pouca influência para a sequência da competição para as duas equipes.

Isto porque a fórmula de disputa do estadual garante a classificação dos quatro times da Divisão Norte (além de Crocodiles e Hp, Brown Spiders e Bristlebacks), sendo duas diretamente para as semifinais do torneio e duas para enfrentar os campeões das divisões Leste e Oeste na rodada de Wildcard. Se confirmarem seu favoritismo, Croco e HP devem folgar na primeira rodada dos playoffs e o confronto deste domingo servirá para definir quem será o melhor time da fase de classificação.

A equipe do Portal do Futebol Americano ganhou a ‘fácil’ tarefa de apontar motivos que podem levar à vitória, mostrar os fatores que podem levar um time a derrotar o outro neste primeiro jogo pelo Paranaense.

Para isso, os intrépidos Felipe Raicoski e Leonardo Siqueira vão apontar o que acreditam que pode levar Croco ou HP ao triunfo, usando sete tópicos para análise, já que o equilíbrio é a marca do confronto.

 

Elenco

Felipe Raicoski РCrocodiles e HP t̻m elencos bem formados, com bons jogadores em praticamente todas as posi̵̤es, e tamb̩m t̻m pe̤as que fazem a diferen̤a. Apesar de alguma equival̻ncia, o n̼cleo mais experiente e rodado dos crocodilos, principalmente na parte ofensiva, pode acabar fazendo a diferen̤a na partida.

Leonardo Siqueira – Ambas as equipes possuem grandes nomes, inclusive do cenário nacional, o que deixa difícil apontar qual é o melhor elenco. Não aponto um elenco melhor que o outro, mas vejo diferenças entre ataques e defesas.

 

Comissão técnica

Felipe Raicoski РAs duas equipes v̻m com t̩cnicos novos, comiss̵es alteradas e esquemas de jogo rec̩m-implantados. Drew Banks, que al̩m de QB ̩ OC e t̩cnico do Croco, tem naturalmente um conhecimento amplo do esporte. Por̩m, ̩ sua primeira experi̻ncia de fato no comando de uma equipe, e o ac̼mulo de tarefas pode acabar complicando a vida dos crocodilos. Do outro lado, o t̩cnico Carlos Copi rec̩m assumiu o HP, mas tem experi̻ncia como coordenador defensivo e tem buscado se especializar para sua nova fun̤̣o.

Leonardo Siqueira – A promoção de Drew Banks para head coach do Crocodiles indica uma mudança grande, e positiva. Banks tem experiência e conhecimento trazido de fora do Brasil, pontos buscados por várias equipes brasileiras. Porém, ele ainda é uma peça nova dentro da comissão, caso que não se repete no HP. Mesmo com algumas mudanças, o cerne é o mesmo e isso pode fazer a diferença.

 

Fator casa

Em 2016, HP quebrou a hegemonia dos crocodilos no Paraná. (Foto: Paraná HP)

Felipe Raicoski – Como em praticamente todos os jogos do Paranaense de FA, as torcidas estarão divididas no Complexo Esportivo Brown Spiders. Os Crocodiles adotaram o CEBS como sua casa, e não tem sentido a diferença. Já o HP tem mostrado força e desbancado os rivais quando atua por lá. Foi lá também que a equipe desbancou o Croco no Paraná Bowl de 2016.

Leonardo Siqueira – Totalmente irrelevante, em minha opinião. Ambas as equipes estão acostumadas a jogar no Complexo, que vem sendo bastante utilizado ultimamente. Mesmo que o gramado do local não tenha a qualidade necessária, o estádio não deve dar vantagem a nenhuma equipe.

 

Ataque

Felipe Raicoski – Sob o comando de Banks, os crocodilos foram devastadores na primeira rodada diante do Londrina Bristlebacks, anotando 54 pontos, enquanto o QB lançou para quatro TDs. Principal arma da equipe alviverde, o jogo corrido segue funcionando e ganhou uma nova ameaça, o próprio Banks, que tem mobilidade e velocidade para correr com a bola. Do lado do HP, o teste foi em maior escala na largada do estadual. O setor ofensivo da equipe demorou para engrenar diante do Brown Spiders, mas anotou três TDs e mostrou poder de decisão, vencendo a partida nos segundos finais. O técnico Copi, após a partida, reconheceu que sua equipe demoraria um pouco para engrenar, já que o novo sistema, Air Raid, ainda não está totalmente consolidado.

Leonardo Siqueira – A permanência de Drew Banks, aliado ao forte jogo terrestre dos Crocodiles coloca a equipe em vantagem nesse quesito. Apesar de contar com nomes fortes (caso do WR Guilhermo Gulin, que possui um histórico de pontuações contra o Croco), o HP ainda fica atrás nesse quesito.

 

Defesa

Felipe Raicoski – O confronto trará para campo duas das melhores defesas do país. Há playmakers dos dois lados, as trincheiras são bastante fortes e as secundárias capazes de marcar os avanços aéreos. Mover a bola será um desafio para as duas equipes, e a equivalência deste lado do jogo pode ser determinante para o resultado. Porém, a defesa do Croco não foi devidamente testada na rodada inaugural, e apesar de ser experiente, o maior desafio será reconhecer a diferença de nível de jogo necessária entre uma partida e outra.

Leonardo Siqueira – É o ponto mais forte do HP. A manutenção dos principais atletas e a qualificação dos mais jovens tem sido um dos pontos primordiais para esse setor.

 

Motivação

Felipe Raicoski – Os crocodilos estão mordidos com a perda da hegemonia estadual. Banks já deixou claro que quer longe de seus jogadores a sempre presente ‘certeza’ de vitória do Croco. O sentimento da equipe é de que o título de 2016 foi embora cedo demais. Porém, o HP está igualmente frustrado com os resultados dos últimos clássicos, já que foi derrotado nas duas partidas que as equipes disputaram na Superliga do ano passado, a segunda tirando o time dos playoffs. O clima promete ser quente em campo, as duas equipes são experientes o suficiente para saber atuar sob pressão, mas os alviverdes são mais.

Leonardo Siqueira – Acredito que o Crocodiles esteja um passo à frente neste quesito. A equipe teve um ano totalmente fora dos padrões no ano passado e usa isso como motivação para mostrar toda sua força neste ano.

 

Fotos: Marcelo Andrade/ Gazeta do Povo

Histórico

Felipe Raicoski – São sete jogos entre os times na história, com cinco vitórias do Crocodiles e duas do HP. Três finais disputadas, com duas conquistas do Croco e uma do HP, foram 66 pontos anotados pelo Croco nessas partidas, 56 pelo HP. Os números mostram o equilíbrio do confronto, mas também sugerem alguma vantagem para os alviverdes. Os dois times já conseguiram jogos em que deixaram o adversário sem pontuar, mas apenas em uma oportunidade um dos dois times conseguiu anotar três TDs, justamente os crocodilos, com o triunfo por 21-12 no Paraná Bowl de 2014. Nunca ninguém superou a marca de 21 pontos na partida.

Leonardo Siqueira – Pontos para o Croco aqui. Foram três Paraná Bowls disputados entre as duas equipes, com duas vitórias do Crocodiles. Além disso, no ano passado as equipes se enfrentaram também três vezes: uma na decisão estadual (vitória do HP) e duas na Superliga (ambas vitórias do Croco). Além do confronto direto, é preciso ressaltar o fato dos crocodilos estarem presentes em todas as finais do estadual até aqui.

Deixe um Comentário

Name *
Email *
Website
Comentarios *

Related Post

Sobre

O melhor conteúdo de futebol americano para amantes do esporte como nós ;)
Fique por dentro do que rola no FA no Brasil e no mundo com o Portal do FA.

Contato

Rua Monsenhor Ivo Zanlorenzi, 3847, Mossungue
Curitiba – Paraná - Brasil
UP