Como ajustar o timming do seu recebedor com o QB?

√Č consenso que no futebol americano a repeti√ß√£o √© fundamental para que uma equipe desempenhe bem suas jogadas, sejam elas defensivas, ofensivas ou no time de especialistas. Quando falamos em jogadas defensivas e execu√ß√£o individual de cada jogador, existe uma certa margem para erros individuais que podem ser cobertos dos outros jogadores em campo. J√° […]

√Č consenso que no futebol americano a repeti√ß√£o √© fundamental para que uma equipe desempenhe bem suas jogadas, sejam elas defensivas, ofensivas ou no time de especialistas.

Quando falamos em jogadas defensivas e execução individual de cada jogador, existe uma certa margem para erros individuais que podem ser cobertos dos outros jogadores em campo. Já no ataque, a falha de um pode comprometer todo acerto de todos.

Um problema recorrente nos ataques das equipes de futebol americano √© a falta de timming entre quarterbacks e ¬†recebedores. √Ȭ†comum em jogos, sejam amadores ou profissionais, que em determinados momentos recebedores e quarterbacks parecem n√£o se entender muito bem.

 

Timming

Um passe muito longo, uma rota mal executada ou até um passe feito onde supostamente deveria ter um jogador (mas não tem ninguém). Tudo isso é visto em jogos de highscholl, college, nfl ou em qualquer outro lugar onde se pratique futebol americano.

Se, como diz o ditado, ¬†‘tempo √© dinheiro, podemos tra√ßar um paralelo para o FA e dizer que, nesse universo, tempo √© passe completo.

 

Recebedores

Se voc√™ √© joga como recebedor em seu time, seja como wide receiver, tight end, ou at√© mesmo running back e j√° teve mais de um coordenador de ataque, treinador ou playbook √© poss√≠vel que tenha ouvido desde ¬†‚Äúfa√ßa uma rota IN em 5 jardas‚ÄĚ at√© o ‚Äúfa√ßa a IN em 5, 7, ou 10 passadas‚ÄĚ.

Aqui, vamos tratar sobre execu√ß√£o de rotas por passadas e utilizando uma √°rvore de rotas b√°sicas. Nesse caso, a ideia √© que independente do tipo f√≠sico de cada recebedor, a execu√ß√£o das rotas tenham a diferen√ßa de timming com o qb reduzidas em virtude de que, seja a rota feita em 2 ou 6 jardas de dist√Ęncia,¬†a quantidade de passadas em cada uma delas ser√° sempre a mesma.

 

√Ārvore de Rotas

√°rvore de rotas

√°rvore de rotas b√°sicas

 

Step Routes

Nesse tipo de sistema, é mais fácil se obter melhor sincronismo nas jogadas executadas pelo seu quarterback e seus recebedores. Isto pois todas as rotas são padronizadas e, independente das características do seu recebedor, a diferença no tempo de execução será reduzida.

√Č importante que se note o stance inicial (posicionamento inicial) do recebedor em rela√ß√£o ao seu quarterback. O ajuste da perna que dar√° o primeiro passo¬†faz toda diferen√ßa na implementa√ß√£o do sistema e isso ir√° garantir que, independente do jogador, todas as rotas sejam executadas com tempos parecidos.

 

Rotas e Execução

Primeiramente, é preciso que fique claro que dependendo do playbook utilizado, algumas rotas iguais podem ter nomes diferentes dos apresentados aqui e nem por isso um nome ou outro está errado. São apenas formas diferentes de se nomear uma mesma coisa.

step routes

Step Routes

Atenção sempre à posição dos pés do recebedor em relação ao qb e todas as rotas começando com a primeira passada sendo feita com a perna direita.

  • 0 Flat – Primeira passada em dire√ß√£o a lateral do campo e¬†execu√ß√£o¬†feita em paralelo a linha de scrimage;
  • 1 Drag – Primeira passada em dire√ß√£o ao meio do campo e execu√ß√£o feita em paralelo a linha de scrimage.
  • 2 Hitch – Na quarta passada (perna esquerda), receiver deve desacelerar. Na quinta passada gira-se o corpo para a parte interna do campo se posicionando de frente para o quarterback. Ele deve permanecer no local ap√≥s isso.
  • 3 Slant – Na terceira passada, muda-se a dire√ß√£o da rota para ¬†aparte de dentro do campo numa angula√ß√£o de (nesse caso), aproximadamente 45 graus. A rota continua at√© o final do campo.
  • 4 Out – Na quinta passada muda-se a dire√ß√£o da rota em 90 graus em dire√ß√£o a parte de fora do campo.
  • 5 In – Na sexta passada, muda-se a dire√ß√£o da rota em 90 graus em dire√ß√£o a parte interna do campo.
  • 6 Post – Na quinta passada, muda-se a dire√ß√£o da rota para a parte interna do campo em algo em torno de 45 gruas.
  • 7 Flag – Na sexta passada deve-se mudar a angula√ß√£o da rota em 445 gruas em dire√ß√£o a parte externa do campo.
  • 8 Curl – Na oitava passada deve-se desacelerar a rota. A nona passada muda a dire√ß√£o da rota para a parte interna do campo e posicionar o receiver de frente para seu quarterback. Deve-se permanecer nesse local.
  • 9 Streak/fly- Apenas livre-se do seu marcador e corra como se n√£o houvesse o amanh√£!

A metodologia funciona para v√°rias outras rotas e pode-se adapta-la para qualquer tipo de playbook desde que se defina qual o padr√£o que cada rota ter√°.

Se você deseja que sua OUT seja mais longa, ao invés de definir que a mudança de direção da rota será na quinta passada, faça com que seja na sétima ou nona. O importante é que todos executem igual.

Com muita repetição, para que a execução dos receivers fique igual para todos, certamente seus quarterbacks terão um melhor entendimento com seus recebedores e seu ataque se tornará mais efetivo e perigoso.

 

Deixe um Comentário

Name *
Email *
Website
Comentarios *

Related Post

Sobre

O melhor conte√ļdo de futebol americano para amantes do esporte como n√≥s ;)
Fique por dentro do que rola no FA no Brasil e no mundo com o Portal do FA.

Contato

Rua Monsenhor Ivo Zanlorenzi, 3847, Mossungue
Curitiba ‚Äď Paran√° - Brasil
UP